Novas tecnologias para a Inclusão

Janeiro 20 2010

Durante o processo de escrita do enquadramento teórico acabei por me apanhar a navegar de referências em referências, quase como se se tratasse de um documento hypertext :) a verdade é que uma pessoa tem de pôr algum travão a este entusiasmo... De qualquer forma acabei por recolher mais algumas referências interessantes que adiciono à lista:

 

BECKER, Maria Lucia, Inclusão Digital e Cidadania – As possibilidades e as ilusões  da “solução” tecnológica, 2009.

 

SARMENTO, M.J., Gerações e Alteridade: Interrogações a partir da sociologia da infância, 2005

 

HAZARD, Damien, et al, Inclusão digital e social de pessoas com deficiência, UNESCO, 2007

 

LIN, Nan, Social Capital: A theory of Social structure and action, 2001


Janeiro 18 2010

Bom, começo por dizer que foi dos semestres mais complicados que já tive em termos de acompanhamento das aulas. No entanto, aquelas a que pude presenciar, foram bastante interessantes e penso que ajudam-nos a ter uma ideia daquilo que nos espera no próximo semestre. A começar a transformar algo incógnito em algo mais concreto, e se por um lado isso nos pode assustar, por outro também nos pode preparar e ajudar a antever certos problemas.

Relativamente aos prazos e trabalhos, achei-os bastante adequados e focados. No entanto, no meu caso específico, penso que era o meu tempo que não se adequava aos trabalhos :) penso que se a minha actividade profissional assim o permitisse, conseguiria ter participado e desenvolvido muito mais trabalho.

Como nota final, acho que devo colocar aqui a justificação por não ter utilizado o programa Prezi para as minhas apresentações. Curto e simples... não gosto, nem concordo com ele. A minha ideia de um apresentação é algo que tem de ser simples e directo. A ideia que tenho do Prezi é o oposto, complica tudo com animações desnecessárias que distraem. É giro, é "catchy" mas não me parece que cumpra eficazmente o objectivo -  passar a mensagem.


Dezembro 10 2009

Dezembro 07 2009

Segue abaixo o plano de acção para os próximos meses...


Relativamente a planos de contingências, penso que o problema mais grave será no pouco tempo (parece-me) que irei ter de implementação de protótipo, algo que provavelmente terei de ajustar consoante a investigação e planificação do mesmo...


 



 


Novembro 06 2009

Aqui vai uma primeira abordagem ao Índice do Enquadramento Teórico, também coloquei um ficheiro em MindMap na caixa lateral.

 

 1  Introdução

 1.1  Motivações, Questões, Objectivos, Contextualização, Estrutura

 2  Enquadramento teórico

 2.1  Inclusão: Definição, panorama actual

 2.1.1        Inclusão na Educação

 2.1.2        Inclusão na Sociedade

 2.1.3        Inclusão na era Digital / da Informação

 2.2  Relação entre as TIC e a Inclusão

 2.2.1        As TIC - Definição, panorama actual

 2.2.2        As TIC como promotoras da Inclusão

 2.2.3        Vantagens/Desvantagens das TIC na promoção da Inclusão

 2.3  Acessibilidade/Usabilidade e Inclusão

 2.3.1        Análise da facilidade de utilização das TIC mais comuns por pessoas com necessidades especiais

 2.3.2        Design de Interface Para Inclusão - Design de Interfaces para pessoas info-excluídas

 2.4  A Diversidade Tecnológica e as necessidades especificas do público

 2.4.1        Apresentação das diferentes soluções Tecnológicas para diferentes especificidades do utilizador

 2.4.2        Interligação entre as diferentes soluções

 2.5  Motivações da utilização das TIC como ferramenta "inclusiva"

 2.5.1        Barreiras à utilização das TIC

 2.5.1.1              Barreiras Tecnológicas

 2.5.1.1.1   Design

 2.5.1.1.2   Interacção

 2.5.1.1.3   Funcionalidades

 2.5.1.1.4   Acessibilidade

 2.5.1.2              Barreiras Sociais / Humanas

 2.5.2        Incentivos à utilização das TIC


Outubro 25 2009

Aqui vão algumas questões que gostaria de ver respondidas daqui a uns meses :)

É natural que sofram alterações, no final de contas, é um trabalho em progresso.

 

Que implicações têm as novas tecnologias na promoção da comunicação inter-pessoal de indivíduos em situação de exclusão social?

 

Os serviços tecnológicos actualmente disponíveis são suficientes e encontram-se adaptados a uma vertente de inclusão social?

 

De que forma os meios tecnológicos existentes podem dar resposta às diferentes necessidades e/ou limitações de cada indivíduo, no que diz respeito à forma de comunicação, e de que forma se podem conjugar?


Outubro 25 2009

 Depois das primeiras reuniões de orientação onde recebi algumas dicas de autores, finalmente comecei a fazer um mapa e a estruturar a bibliografia segundo as áreas de pesquisa.

 

Segue em baixo uma primeira versão em texto, para quem tiver o programa FreeMind (recomendo) pode usar o ficheiro que adicionei na Box da barra lateral.

 

 Inclusão

Doze olhares sobre a educação inclusiva - David Rodrigues, 2006

Orientações para a Inclusão, Garantindo o Acesso à Educação para Todos - UNESCO, 2005

Superar a exclusão através de abordagens inclusivas na educação - UNESCO, 2003

 

Usabilidade e Acessibilidade

Leonardo's laptop: human needs and the new computing technologies - Ben Shneiderman, 2003

Adaptive technologies for learning & work environments - Joseph J. Lazzaro, 2001

http://www.w3.org

Web accessibility: web standards and regulatory compliance - Jim Thatcher, Michael R. Burks, Christian Heilmann, 2006

 

Tecnologias e Inclusão

Technology and social inclusion: rethinking the digital divide - Mark Warschauer, 2003

Enabling technology for inclusion - Mike Blamires, 1999

The ethics of cyberspace - Cees J. Hamelink, 2000

 

Para além destes documentos ainda encontrei alguns artigos que irei categorizar igualmente. Ainda falta uma outra categoria - A Tecnologia - que será a vertente mais prática e de implementação, mas ainda é cedo para entrar nesta temática, também porque estou a aguardar a reunião com os responsáveis técnicos do projecto rede inclusão.


Outubro 24 2009

 Em jeito de desculpa por ter faltado à aula de seminário, coloco aqui a razão pela qual não pude ir :)

Estive numa conferência sobre Educação Inclusiva com o Dr. David Rodrigues, professor na Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa. Confesso que nunca tinha ouvido falar dele, mas vim a descobrir que para além de um excelente orador, conseguiu, em pouco mais de uma hora, não só explicar o conceito inerente à Educação Inclusiva, como (pelo menos no meu caso), desmistificar algumas das ideias enraizadas acerca da educação e da forma como se ensina em Portugal.

 

Seguem alguns dos apontamentos que retirei:

 

> Inclusão como processo inacabado de encontrar melhores maneiras de responder à diversidade

> inclusao como identificação e remoção de barreiras

> preconceitos

> estudar as barreiras existentes à aprendizagem nos modelos escolares

> Inclusão como presença, participação e sucesso de todos os alunos

> Segurança enquanto sentimento de apoio e empenho da escola relat/ ao aluno

> participação

> promoção do sucesso

> Ênfase nos alunos em risco de marginalização, exclusão ou insucesso

 

> Diferença (entre alunos)

Bourdieu, 1966 - A escola "finge" não existir diferenças

> Olhar a diferença positivamente, assumir e aceitar

> Diferença gera dinâmica, discussão

 

> Currículo

Toda a experiência que é proporcionada pela escola

> Insistência nas areas fracas dos alunos, nas suas dificuldades

> areas fracas como objectivo e areas fortes como estratégia

> responder à questão, o que é que o aluno sabe?? (em contraponto com o que é que o aluno NÃO sabe?)

 

> Planeamento

Reflectir sobre as suas práticas de ensino - relacionado com as barreiras


Outubro 24 2009

O meu projecto-dissertação insere-se na iniciativa Rede Inclusão (http://redeinclusao.web.ua.pt/) e, segundo o próprio site:

"A REDEinclusão é um Projecto que faz parte integrante da Associação Cidadãos do Mundo e que visa o desenvolvimento da inclusão educativa e social das crianças e jovens em situação de vulnerabilidade ou marginalização, nomeadamente, os que vivem em condições de privação ou abandono, os que são portadores de deficiência ou doenças graves e prolongadas, os refugiados, os que constituem minorias culturais e linguísticas, os que trabalham, os que estão por qualquer razão excluídos de uma educação formal."

 

Desde já o meu objectivo neste projecto será encontrar soluções tecnológicas que fomentem a inclusão de pessoas em situações como as descritas anteriormente. Essas soluções poderão passar directamente pelo portal RedeInclusão, com a integração de novos serviços que potenciem principalmente a comunicação entre os utilizadores, ou serviços paralelos - mantendo a ligação ao projecto.

Outra iniciativa que dará decerto um forte contributo será o portal Sem Barreiras (http://www.sembarreiras.org/), que poderá inclusive ser parte integrante dos serviços a disponibilizar, principalmente devido aos seus vastos recursos de informação relativa a esta temática.

 

De qualquer forma, ainda é cedo para falar em soluções, há muito trabalho a montante para ser feito...


Outubro 24 2009

 O primeiro post!..

 

Depois de umas semanas complicadas, carregadas de trabalho, finalmente tenho uns minutos para o Blog. Tenho andado um bocado alheado ao que se tem passado nas aulas, mas não significa que o mestrado tenha ficado para segundo plano. Ocupei algum desse tempo em reuniões e conferências para entrar numa temática completamente nova para mim - a Inclusão -  que procurarei explicar mais adiante no blog.

Vou então tentar recuperar o tempo "perdido" e actualizar um pouco mais este roadmap do meu projecto :)


mais sobre mim
Box.net
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


subscrever feeds
blogs SAPO